sábado, 8 de Agosto de 2009

Irresistível


Se há coisas que não dispenso, ´e sentir-lhe o sabor, de perferencia, bem molhadinha.....ate cresce agua na boca....

quarta-feira, 5 de Agosto de 2009

Acabou assim...

Para descrever a noite fantástica que tivemos estaria um dia a teclar, assim como uma imagem vale por mil palavra deixo uma das muitas fotos que tiramos. Sei que vais vir aqui cuscar, espero pelo teu comentário.

sábado, 25 de Julho de 2009

Novos Vizinhos, novas aventuras

Depois de 26 anos a viver em casa dos pais, resolvi ir viver sozinho. Comprei um apartamento numa zona nova da cidade, num prédio com vários andares, onde vive muita gente, seguramente ainda hoje não conheço os meus vizinhos todos....
Para conhecer e adaptar-me melhor ás pessoas que ali vivem decidi ir a uma reunião de condomínio, apresentei-me e conheci várias pessoas, maioritariamente casais novos que também iniciam a sua vida. A qualidade da vizinhança feminina era notória, belas mulheres que ali vi. Senti-me seguido por alguns olhares femininos que retraídas pela presença dos maridos iam olhando discretamente. Ouve uma simpatia especial pelo casal que vive em frente ao meu apartamento, a mulher para além de ser linda era extremamente sexy, o marido bem apresentado, simpático, mas um pouco contido em palavras. A confiança foi crescendo com normalidade entre vizinhos.
Há pouco tempo apanhei a Carla (a vizinha) à entrada do prédio, subiu comigo no elevador, o cheiro misturado com aquele corpo delicioso, deixou-me excitadissimo, senti que ela estava na relaxada e muito a vontade, na continuidade da conversa, disse que o Rui(marido) ia estar uma semana fora em trabalho e que ia ficar sozinha em casa. Fui para casa excitado com o pénis duro de tanta excitação, confesso que me masturbei , tive um orgasmo delicioso a pensar naquele corpo e na possibilidade de o sentir.
Nessa mesma noite depois do jantar estava já no sofá a relaxar, quando olho pela janela atraído pelo acender de uma luz, era a vizinha no quarto, com as cortinas corridas, notava-se o perfil do corpo dela por de traz das cortinas, parecia que estava nua, nunca tinha acontecido desde que ali vivia, fiquei outra vez excitado...decidi enviar-lhe uma sms a dizer-lhe “não é que me importe, mas é melhor apagares a luz, tas a deixar o teu vizinho doido” um espreitar pela cortina na minha direcção com um belo sorriso era sinal que tinha recebido a sms, a luz apagou-se, pouco tempo depois recebo a resposta “gostas-te do que viste? Para a próxima mostro mais:)!” fiquei com um desejo louco de ir ter com ela, mas faltou a coragem, então mandei-lhe outra sms “e se a próxima fosse agora?”pouco tempo depois recebo um mensagem de imagem com uma foto dela em roupa de interior, respondi com uma foto minha da mesma forma, fomos trocando fotos até estarmos completamente nus...a última foto dela era da ratinha bem depilada e muito mulhadinha com dois dedos enfiados, com o seguinte texto “estou a tua espera”, vesti-me e fui ter com ela. Quando entro em casa dela, ela estava em roupão,houve poucas palavras, beijamo-nos intensamente, com ela acariciar-me logo o sexo de uma forma mágica, e disse-me ao ouvido....”quero o teu leite no meu cuzinho, quero-te sentir bem fundo”... seguiram-se vários minutos de prazer com um orgasmo dela que fez-me com que eu acelera-se o ritmo e tivesse o meu, e ela outro de seguida... uma mistura de sentimentos no final (carinho, prazer, arrependimento) se houve poucas palavras há entrada, houve muito menos há saída, lembro-me de um “adorei, isto fica entre nós” até hoje (alguns meses depois) vivemos como nunca se tivesse passado nada...

sábado, 18 de Julho de 2009

As Surpreendestes noites de Coimbra

Como sempre no fim do dia, é rotina indispensável, por volta das 7:30 lá estou eu, há porta do ginásio. Numa destas sexta-feira dou por mim num canto da sala a olhar para a quantidade de pessoas que tem o hábito saudável de praticar desporto quase diariamente.
Duas horas depois desço a rua em direcção à Praça da Republica e paro no restaurante do costume para jantar, restaurante quase cheio, sento-me e é então que esta rotina quase mecânica é interrompida pela boa disposição que reina na mesa ao lado, 3 meninas, estudantes universitárias que comemoravam o fim dos exames e respectivo fim de curso. Como todos olhares masculinos naquele restaurante o meu olhar era tudo, menos discreto, aquele cheiro as roupas os corpos deixavam qualquer um a olhar, o meu coração começou a bater mais forte, um desejo a subir pelo corpo, que me deixava doido, uma intensa troca de olhares entre elas deixava-me assim. Já depois do café, entra no restaurante o Bruno um velho e grande amigo meu que depois de acabar-mos o curso nunca mais nos tinha-mos visto e cumprimenta as meninas sem dar conta que eu estava ao lado, era namorado de uma, pouco tempo depois reparou em mim, grande festa que fizemos e passado algum tempo há conversa apresentou-me as meninas e qual foi o meu espanto que elas convidaram-me a sentar, era o que mais queria ouvir naquela noite.
Depois de algumas horas há conversa o Bruno e a namorada (Catarina) vão-se embora, fico ainda algum tempo há conversa com a Mariana e com a Sofia, com o restaurante quase a fechar a Mariana pergunta, aonde é que vamos de seguida?Vamos beber um copo ao Garden respondeu a Sofia, eu concordei prontamente.
Mais tarde já sentados no garden continua-mos a conversa, que algum tempo depois começa a aquecer com o contar de histórias de ex, e engates e aventuras que cada um de nós tinha-mos tido, eu começo a ficar com uma tesão brutal, de imaginar aquelas beldades nuas...Era notória também o entusiasmo delas que cada vez mais contavam as histórias com mais pormenor... Num intervalo peço para ir há casa de banho, a Mariana disse que me acompanhava, a entrada era comum, ela pega-me no braço e rouba-me um beijo bem gostoso e diz-me ao ouvido e ao mesmo tempo mete a mão no meu pau já bem grosso, “também estou assim, cheia de tesão” e foge para dentro do wc das mulheres e eu fico ali cheio de vontade de entrar...Quando saio do wc está há minha espera e convida-me para irmos para casa dela, concordei logo, ela respondeu “ok, então vou chamar a Sofia para vir, é que vivemos juntas!” fiquei sem saber como isso ia acabar..
Cheguei a casa delas e logo há entra houve um olhar cumplicie entre elas, a Sofia disse “vou preparar umas bebidas” e foi para a cozinha, enquanto isso a Mariana levou para a sala, começou a beijar-me loucamente,um beijo profundo e húmido, que me deixou ainda com mais tesão, empurrou-me para o sofá e sentou-se em cima de mim, tirou o top e pediu-me para chupar as mamas, que loucura que eram, mas num instante parei, e disse “ Calma a Sofia pode vir ai!” ela respondeu “ não te preocupes com ela” e eu continuei a chupar aquelas mamas redondinhas com uns bico duros, enquanto ela se esfregava no meu pau....
Entretanto entra a Sofia com as bebidas e perguntou “Cheguei tarde?” a Mariana disse, “não” vieste mesmo a tempo, virou-se para mim e diz, “não te importas que ela se junte há festa, pois não?”respondi com um grande sorriso, “se a 2 é bom 3 ade ser melhor” a Sofia despe-se enquanto a Mariana puxa-me as calças e começa a chupar-me o pau de uma forma gulosa, eu começo a chupar as coninha da Sofia que já estava completamente molhada, ela já gemia bem alto quando lhe meto um dedo no cuzinho e lhe continuo a chupar a coninha, não demorou muito a ter o primeiro orgasmo, seguiram-se uma série de posições com elas sempre a dominar a situação, a brincadeira acabou com elas as duas a chuparem-me o pau e eu a vir-me para as bocas delas....
Já madrugada dentro quando nos sentamos os 3 no sofá, a curtir aquela boa sensação de satisfação e acabamos por adormecer os 3 bem juntinhos....
Seguramente uma das minhas melhores noites........

quinta-feira, 16 de Julho de 2009

A COREOGRAFIA PERFEITA DOS OLHOS MASCULINOS

Nada melhor que começar com uma tradição natural...
O acto de voltar-se para observar a parte posterior da mulher que passou é muito comum entre os homens. Há casos que chega a ser vício e os olhares se voltam, mesmo não sendo a fêmea muito exuberante. Ao cruzar-se com uma vestida um pouco mais sensual, os olhos masculinos não resistem a uma olhadela. Normalmente, simulando uma coreografia quase perfeita, vários homens olham ao mesmo tempo, quando o figurino justo realça as formas perfeitas e a anca feminina evoca a atenção. Algumas vezes, a acção é quase involuntária, impulsionada pela atenção despertada em um, e como em uma cena ensaiada, de repente, estão todos a olhar. É um hábito quase universal. E quando uma mulher, como a personagem citada, passa por um casal e o homem descuidado volta o olhar, sua parceira, conhecedora da prática dos varões, sentido se preterida, ralha. E pode até dizer: “olha o respeito!”